História da Paróquia

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

A história de nossa comunidade começa no ano de 1948, quando formou-se um grupo para a oração do terço na Rua Zaira, Vila Guarani, iniciativa do senhor Sebastião Dionísio da Silva. Mais tarde, os encontros passaram a acontecer na casa de José Cardoso, na Rua Marquês de Alegrete, 234, na Vila Humaitá.

Aquele primeiro grupo era caracterizado pelo fervor e perseverança. Tamanha demonstração de fé despertou a atenção na Igreja Matriz (Paróquia Santo André), comunidade até então responsável por este território geográfico. Com isso, padre Primo enviou um sacerdote, padre Hugo, para sondar o que realmente estava acontecendo. Havia a desconfiança de que o grupo em questão fosse pertencente a outra denominação religiosa. Quão grande foi a sua surpresa quando descobriu que o grupo realizava orações, terços entre outras atividades legitimamente católicas. Diante da descoberta, padre Hugo recomendou ao padre Primo que enviasse algum sacerdote para celebrar uma missa ao menos uma vez a cada mês para a comunidade. Então a primeira catequese, assim como atividades pastorais e de evangelização deram-se naquele local que, rapidamente, tornou-se referência aos moradores do bairro.

Diante do crescimento da jovem comunidade, surgiu a necessidade de um espaço maior. Assim, em 1952 teve início a construção do atual templo em terreno de 400m², doação dos loteadores da Vila Humaitá, e as atividades que aconteciam numa pequena capela improvisada no quintal da Família Cardoso passaram, enfim, a ter um espaço definitivo. A primeira missa foi celebrada pelo padre Hugo Fentz, que iniciou as obras de construção do templo. Porém, as obras só se finalizariam em 1954, com a cobertura do templo pelo padre Horácio.

Diante da criação da Diocese de Santo André em 1954, nossa comunidade foi uma das primeiras a serem elevadas a paróquia, em 5 de março de 1955, tendo o padre Germano Wolf como primeiro pároco. Homem de idade avançada, mas com espírito empreendedor, licenciou-se em novembro daquele mesmo ano, sendo o padre Valdomiro Pires Martins o vigário substituto desde então.

Após um período sem um administrador paroquial, Dom Jorge Marcos de Oliveira nomeou um novo vigário econômo, padre Victorino Picón, em 2 de fevereiro de 1956. Conhecido pela rigidez que se misturava à sua postura bondosa, proporcionou à comunidade o florescimento na fé. Foi ele quem conseguiu construir, ainda que de maneira precária, a primeira casa paroquial, no fundo do templo, e finalizou a torre paroquial. Ele saiu de licença em 8 de novembro de 1963, voltando para a Espanha para tratar a saúde e reencontrar seus familiares.

O padre Hildebrando Rodrigues de Oliveira tomou posse como terceiro p em 16 de fevereiro de 1964, inicialmente, para cobrir o lugar do padre Victorino, contudo, assume a nossa Paróquia como pároco à partir de 26 de janeiro de 1965. Em seu período, o templo foi ampliado, como também promoveu melhorias na casa paroquial. Foi neste período que implantou-se as renovações provindas do Concílio Ecumênico Vaticano II, bem como a criação da Pastoral do Dízimo, as reformas das associações existentes e da catequese. No final do ano de 1971, o vigário retorna à Paraíba.

Padre Hermenegildo Biscaro assume a nossa Paróquia em 26 de março de 1972, sendo o primeiro pároco pós-conciliar. Notado por ser um pastor bom, humilde e piedoso, vivenciou vários problemas de saúde neste período, o que comprometeu a sua atividade pastoral. Foi ajudado neste período pelos padres Carlos Tosar, FC nas suas férias em 1974 e pelo padre Luiz Paganini nas suas férias de 1975 e 1976. Permaneceu em nossa Paróquia até o início de 1978, quando retornou para o município de Tietê (SP) por motivos de saúde.

Com a saída do padre Hermenegildo, a Paróquia passa por grandes dificuldades pela falta de um vigário. Por orientação de Dom Cláudio, foi constituído um Conselho Pastoral e Administrativo de Leigos para administrar a Paróquia neste período. Sob o constante acompanhamento do bispo, e pela assistência do Padre Luiz Paganini, nomeado vigário, realizou um grande trabalho de reestruturação pastoral e material. Também veio colaborar em nossa Paróquia, o Diácono José Benedito da Silva. Foram fortalecidos vários movimentos, como as Comunidades Eclesiais de Base, a Catequese, e instituídos os Ministérios Extraordinários. Foram construídos vários espaços, dentre os quais, a nova casa paroquial. Este conselho atuou entre os anos de 1978 e 1985.

O padre Luiz Paganini foi nomeado o quinto pároco de nossa Paróquia, em 27 de junho de 1983, e iniciou-se um período de transição, que culminou no encerramento dos trabalhos do conselho em 1985.

Dentro deste período, devemos destacar o início da comunidade São Francisco de Assis, em 1981, motivada pelas pastorais sociais, Comunidades Eclesiais de Base, Catequese de Crianças, e pela população das vilas Guarani e Homero Thon. Esta parte viva e integrante nasceu da vontade unida da população dos bairros acima, e da comunidade paroquial como um todo, que culminou em sua inauguração por Dom Cláudio Hummes.

Em 22 de novembro de 1985, padre Décio Dias Mirândola é nomeado vigário paroquial. Em 4 de abril de 1986, o Conêgo Walfrides José Praxedes é nomeado pároco das paróquias de Cristo Operário, Santa Joana D’Arc e da nossa, tendo como vigários, padre Luiz, padre Décio e padre Marival Domingos Pansarello.

Padre Décio Dias Mirândola assume como o sétimo pároco de nossa Paróquia em 21 de março de 1987, e recebemos novos vigários paróquiais em agosto do mesmo ano: padre Angel Arroyo Gomez e padre Jesus Carlos Delgado Garcia. A comunidade vivenciou no período de pastoreio do padre Décio grande renovação pastoral e ministerial. Em termos estruturais, foram concluídas as obras dos salões paroquiais da Matriz Paroquial e da Capela São Francisco de Assis.

No dia 4 de junho de 1988, nossa comunidade se entristeceu, com a partida para o Pai do padre Luiz Paganini. Após longo período de enfermidade e depois de anos de dedicação à nossa Paróquia, foi velado na nave da igreja e enterrado no Cemitério Jardim Santo André, pertencente ao território paroquial.

No dia 1º de janeiro de 1996, assume como oitavo pároco, o padre Antônio Guimarães do Couto Filho. Em seu período, houve grande desenvolvimento estrutural e pastoral. Reformou o complexo da sede paroquial, bem como ampliou a Capela São Francisco de Assis e construiu o salão existente. Surgiram neste tempo novas pastorais, bem como desenvolveu-se o boletim informativo Anunciando em 2001, e o site paroquial. Também iniciou-se os preparativos para o Jubileu de Ouro, em 5 de março de 2004.

Em 5 de setembro de 2004, em missa solene, assume o pastoreio o nono pároco, padre Vanderlei Nunes. Como sempre foi desde o início de nossa caminhada, encontrou uma comunidade viva e empenhada. Vivenciou em sua chegada a grande celebração do Jubileu de Ouro Paroquial, em missa presidida por Vossa Excelência Reverendíssima Dom Nelson Westrupp, scj, no dia 5 de março de 2005, onde descerrou-se placa comemorativa, afixada no templo.

Durante seu pastoreio, houve grande crescimento espiritual, principalmente na área litúrgica, com a criação de pastorais e equipes ligadas diretamente às celebrações. Também foram fortalecidas as pastorais e grupos ligados a questões sociais, com a chegada da Pastoral da Criança e Pastoral da Pessoa Idosa, fundadas pela saudosa Zilda Arns, além da Pastoral da Sobriedade.

Em fevereiro de 2006, recebemos um novo vigário paroquial, padre João Ruiz Asahi, que permaneceu em nossa Paróquia até janeiro de 2007. Também neste ano foi comemorada as Festividades de Prata da Capela São Francisco de Assis, no dia 12 de outubro, presidida pelo pároco, por ocasião de seus 25 anos de existência. Efetivou-se, após experiências prévias positivas, o Conselho Pastoral Paroquial – CPP, órgão consultivo que reúne todos os movimentos, grupos e pastorais de nossa Paróquia.

Atendendo aos novos desafios da evangelização, foi criada a Comissão Missionária Paroquial (COMIPA) em 2008, com o intuito de fazer de nossa Paróquia, comunidade de comunidades, presente nos mais diversos pontos do território paroquial. Por isso, a COMIPA distribuiu o território em doze setores, cada qual dedicado a um santo de devoção da comunidade, a saber: São Sebastião, São Judas Tadeu, São Bento, Santa Teresinha do Menino Jesus, Santa Edwiges, Santo Expedito, São José, Santa Luzia, Santo Antônio, Santa Filomena, São Miguel Arcanjo e Santa Rita de Cássia. Outro momento marcante e de grande alegria para toda a comunidade foi a celebração da primeira missa de um padre oriundo de nossa Paróquia, padre Sidcley Alves Machado, no dia 23 de novembro de 2008, em plena celebração da Novena da Padroeira.

Em janeiro de 2009, tivemos a satisfação de receber a missão dos seminaristas diocesanos em nossa Paróquia. Eles se distribuíram pelos 12 setores e puderam visitar todas as casas de nosso território paroquial. Em fevereiro desse ano, padre Odair Gonçalves Bezerra é nomeado vigário paroquial, permanecendo conosco até abril de 2010. Também do ano de 2009, iniciamos a reforma da Matriz Paroquial, encerrando as atividades do antigo templo no dia 25 de outubro, aniversário natalício do padre Odair. A partir do dia 26 de outubro, as missas e celebrações litúrgicas foram celebradas provisoriamente no salão paroquial.

E contando com o costumeiro empenho do povo de Deus, a Matriz Paroquial foi reinaugurada no dia 2 de julho de 2011, após 20 meses de intervenções. Este novo templo foi dedicado solenemente no dia 27 de novembro de 2012, na festa de Nossa Senhora das Graças, pelo quarto bispo diocesano, Dom Nelson Westrupp, SCJ.

Em 16 de fevereiro de 2014, assume o novo administrador paroquial, o reverendíssimo padre Felipe Cosme Damião Sobrinho. Ao longo do ano, iniciou a reforma das salas de catequese. Foi inaugurado o Centro de Pastoral Santa Catarina Labouré com solene bênção em 14 de fevereiro de 2015, cuja escolha do nome se deu através de grande consulta aos paroquianos pelo voto.

Foram restauradas as imagens e objetos litúrgicos paroquiais, com grande destaque às imagens de São José e do Sagrado Coração de Jesus, entronizadas em suas solenidades ao templo em 2014.

No dia 05 de março de 2015, em solene liturgia, celebrou-se o Jubileu de Diamante de nossa Paróquia, com o tema “60 anos de uma comunidade de comunidades” e lema “Assim nós, embora muitos, somos em Cristo um só corpo” (Rm 12, 5a). Também nesse dia, foi dada a posse canônica ao padre Felipe Cosme, tornando-o nosso décimo e atual pároco.