Papa na África: reveja as mensagens de Francisco

Confira todos os compromissos oficiais do Papa Francisco na África e a íntegra dos seus discursos
Luciane Marins
Da Redação

O Papa Francisco encerrou nesta segunda feira, 30, sua primeira visita à África, a 11ª viagem apostólica internacional do seu Pontificado. O Santo Padre esteve no Quênia, Uganda e República Centro-Africana desde a quarta-feira, 25. Confira todos os compromissos oficiais do Papa e a íntegra dos seus discursos.

Quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Chegada ao Aeroporto Internacional de Nairóbi, onde aconteceu a Cerimônia de boas-vindas. Um esquema de segurança reforçado foi montado para a chegada de Francisco, pois havia o temor de um ataque terrorista do grupo al-Shabab.

Após uma visita de cortesia ao Presidente da República, o Papa encontrou-se com as Autoridades e o Corpo Diplomático. Em seu primeiro discurso, Francisco encorajou o trabalho pelo bem comum.

Quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Encontro inter-religioso e ecumênico no Salão da Nunciatura Apostólica em Nairóbi. O Papa recordou ataques de extremistas e pediu que os crentes sejam reconhecidos como profetas de paz.

Santa Missa no campus da Universidade de Nairóbi. Em sua primeira Missa no continente africano, Francisco destacou que a saúde da sociedade depende do bem estar da família.

Encontro com o Clero, os Religiosos, as Religiosas e os Seminaristas no campo esportivo da escola Saint Mary. O Pontífice destacou que, na vida religiosa, não há lugar para ambição, riqueza ou poder e que o consagrado foi eleito para servir, não para ser servido.

Visita à ONU em Nairóbi. No discurso na ONU, o Papa tocou em problemas como pobreza e reiterou alerta sobre globalização da indiferença.

Sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Visita ao bairro pobre de Kangemi em Nairóbi. Durante a visita, Francisco denunciou a injustiça e a marginalização, fez um alerta sobre a falta de infraestrutura adequada em bairros marginalizados da sociedade, e também destacou sabedoria popular desses lugares.

Encontro com os jovens no Estádio Kasarani. Para cerca de 70 mil jovens, Francisco condenou o tribalismo e disse que a solução é ouvir, abrir o coração e estender a mão ao outro.

Após um encontro com os Bispos do Quênia na sala VIP do Estádio, Francisco participou da cerimônia de despedida no Aeroporto Internacional Jomo Kenyatta de Nairóbi.

Ainda na sexta-feira, 27, o Papa Francisco participou da Cerimônia de boas-vindas no aeroporto internacional de Entebbe, em Uganda. Logo depois, o Papa fez uma visita de cortesia ao Presidente.

Encontro com as Autoridades e o Corpo Diplomático. No primeiro discurso em Uganda, o Papa disse que sua visita à África deve ser vista como sinal de amizade e encorajamento.

Visita a cidade de Munyonyo e saudação aos Catequistas e Professores. O Santo Padre indicou a figura de Cristo como um grande exemplo de Mestre a ser seguido pelos catequistas e professores.

Sábado, 28 de novembro de 2015

O primeiro compromisso no sábado, em Uganda, foi uma visita aos santuários dedicados aos mártires anglicanos e católicos.

Missa pelos Mártires de Uganda na área do Santuário Católico. Na homilia, Francisco destacou que o testemunho dos mártires mostra que os prazeres mundanos e o poder terreno não dão alegria nem paz duradouras.

Encontro com os jovens no aeroporto de Kololo. Em seu discurso, o Papa Francisco destacou três pontos: a superação das dificuldades, a transformação do negativo em positivo e o poder da oração

Visita à Casa de Caridade de Nalukolongo. Durante a visita, o Pontífice destacou a importância da caridade e a dedicação aos pobres.

Após um breve encontro com os Bispos de Uganda no Arcebispado, o Papa encontrou-se com sacerdotes, religiosos, religiosas e seminaristas na Catedral. O Santo Padre destacou aos consagrados três atitudes importantes para que sejam verdadeiros missionários de Cristo: memória, fidelidade e oração.

Domingo, 29 de novembro de 2015

Após a cerimônia de despedida em Uganda, o Papa partiu para Bangui na República Centro-Africana. Ainda no aeroporto participou da cerimônia de boas-vindas. Logo depois Francisco fez, como de costume, uma visita de Cortesia ao Presidente do Estado de Transição no Palácio Presidencial.

Encontro com a Classe Dirigente e com o Corpo Diplomático. No seu primeiro discurso na República Centro-Africana, Francisco destacou o lema do país: unidade, dignidade e trabalho, e pediu empenho em sua concretização.

Visita ao campo de refugiados. Aos presentes, o Papa lançou um convite à paz.

Após um encontro com os Bispos da República Centro-Africana e com as Comunidades Evangélicas, Francisco celebrou uma missa com sacerdotes, religiosos, religiosas, catequistas e jovens na Catedral de Bangui. Durante a missa, Francisco fez a abertura da Porta Santa. Na homilia, reforçou a necessidade da construção de uma “Igreja-Família de Deus” que está aberta a todos e que cuida dos mais necessitados

Para encerrar o dia, Francisco atendeu a Confissão de alguns jovens e deu início a Vigília de Oração na esplanada diante da Catedral.

Segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Encontro com a Comunidade Muçulmana na Mesquita Central de Koudoukou em Bangui. O Papa pediu a muçulmanos que, juntos, digam não à violência, em especial à realizada em da religião.

Missa no Estádio Esportivo em Bangui. Francisco iniciou a homilia falando sobre os tempos difíceis que o país se encontra atualmente e que nesta situação, se deve voltar os olhos a Deus.

O último compromisso do Papa na África foi a cerimônia de despedida no Aeroporto Internacional M’Poko de Bangui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo